Gamificação: como pode impactar nos resultados da empresa?

gamificação
18 minutos para ler

Você sabia que aproximadamente 90% dos profissionais acreditam que a estratégia da gamificação pode ajudar a melhorar o seu desempenho? Esse dado reforça como ferramentas lúdicas podem ser o segredo de um people management (gestão de pessoas) feito de forma certeira.

A gamificação é um recurso tão atraente para as pessoas que 48% dos profissionais afirmam que ela é capaz de aumentar sua motivação no trabalho. Assim, essa ferramenta não pode ficar de fora da sua estratégia para gerenciar o seu capital humano.

Para que você saiba mais sobre a gamificação, como ela pode impactar no desempenho do seu negócio e como implementá-la, fizemos este artigo especial sobre o assunto.

Continue a leitura deste texto e descubra como usar a gamificação para a alta performance!

Afinal, o que significa gamificação?

A gamificação é a prática de implementar elementos lúdicos dos games nas rotinas operacionais corporativas. Essa estratégia pode ser usada utilizando ou não ferramentas tecnológicas. Ela não é uma novidade, no entanto, devido à transformação digital, tem sido mais usada no ambiente organizacional.

Isso acontece porque a tecnologia traz mais recursos à gamificação, a tornando ainda mais atraente, tanto para o usuário quanto para o gestor dele. Dessa forma, ela pode ser implementada em qualquer contexto operacional. É possível aplicá-la na gestão estratégica de pessoas, bem como na experiência do cliente como em programas de fidelização.

As possibilidades que a gamificação oferece são infinitas e o que define o seu sucesso é quando a sua aplicação é feita de acordo com o seu tipo de público-alvo. Isso significa que se você não conhecer os seus liderados, não conseguirá alcançar o resultado esperado com a adoção do gamification.

Como é o funcionamento da gamificação?

Acima, falamos que a gamificação pode ser usada tanto em um modelo com o uso de recursos digitais como sem eles. Para que a estratégia seja, de fato, conceituada como gamification é essencial que ela tenha algumas características, como:

  • desafio: apresente etapas que proporcionem o desenvolvimento e a superação para cada usuário;
  • colaboração: estimule o senso de colaboratividade entre os seus liderados, ou seja, possa ser usada para aumentar a comunicação entre os pares e fortalecer o trabalho em equipe;
  • meritocracia: reconhecer o empenho e a performance de cada colaborador, bem como do trabalho em grupo.

Para que você consiga visualizar melhor como essa estratégia pode ser implementada no seu negócio, a seguir, nós detalhamos exemplos da sua aplicabilidade. Você vai conhecer formas de usá-la usando ou não recursos tecnológicos, como é o caso de software de people management. Confira!

Sem tecnologia

Os departamentos de vendas já têm a tradição de usar essa estratégia para fazer o gerenciamento de pessoas. Geralmente, são definidas metas e uma trilha é construída, com um cronograma e pontuações equivalentes à performance de cada colaborador e/ou grupo. Além das pontuações, geralmente, prêmios são oferecidos para aqueles que alcançarem melhores resultados.

Exemplificando, suponhamos que você seja o gestor de uma equipe de vendas com 20 colaboradores. No planejamento estratégico do negócio foi definido que a receita em vendas deveria crescer em 40% no ano. Para tanto, você separou os seus liderados em grupos para atuarem com perfis distintos de clientes e em canais específicos.

Metas mensais foram definidas por colaborador e por equipe. A pontuação é computada e feita em rodadas: toda semana os 5 melhores recebem brindes e no fechamento do mês o reconhecimento é destinado aos 3 que mais pontuaram, bem como para a equipe que mais pontuou. Para estimular ainda mais, um painel físico é posto a vista para que todos acompanhem os resultados.

Nesse modelo, para aquelas que atingem as metas anuais, geralmente, as empresas destinam uma premiação maior. Viagens para lugares que estão em alta, como regiões litorâneas ou até a Disneylândia. Essas premiações estimulam muito os colaboradores a se empenharem para conquistar as metas.

Com tecnologia

Usando recursos tecnológicos a gamificação se torna ainda mais divertida. Hoje, é possível utilizar softwares de gestão de pessoas que permitem que os seus colaboradores montem o seu próprio avatar. Além disso, se tem um ganho enorme em todos os processos, uma vez que fica mais fácil para gamificar qualquer etapa ou procedimento da sua operação.

Fazer a gestão das trilhas e das etapas de forma manual é algo muito trabalhoso, pois requer tempo. Usando ferramentas digitais, isso se torna mais prático. Otimiza-se o controle dos dados, além de possibilitar o uso deles para consolidar relatórios sobre o comportamento da sua equipe.

Como ela impacta no desempenho?

Colaboradores que são treinados usando o recurso da gamificação apresentam um aumento da sua performance entre 35% a 60%. Esse resultado só é possível porque a estratégia de gamification trabalha com a parte psicológica dos usuários de forma didática e lúdica.

O aprendizado é estimulado ao mesmo tempo que o usuário é instigado a tomar decisões e a trabalhar a criatividade. A seguir, conheça os principais pontos que tornam essa estratégia diferenciada!

Autogestão

Um dos principais desafios de qualquer gestor é conseguir acompanhar de perto as rotinas produtivas de cada liderado. No entanto, sabemos que sem os recursos certos, isso é humanamente impossível. Fazer isso demanda muito tempo e é uma atividade que requer da liderança, conhecimentos profundos em relação à gestão estratégica de pessoas.

Quando a gamificação é aplicada um dos ganhos mais perceptíveis para o gerenciamento da área é a autogestão de cada colaborador. Como eles ficam instigados a atingirem suas metas para serem premiados, os processos acontecem de maneira mais fluida. Claro que isso só é possível quando o gestor aplica o gamification em todas as rotinas diárias.

Meritocracia

A geração Millenial representará cerca de 75% da força de trabalho por volta de 2025. Uma das características mais notáveis nesses profissionais é a sede que eles têm pelo reconhecimento. Trabalhar a meritocracia é um dos pontos-chaves para conseguir atrair e reter esses talentos no seu negócio.

Além disso, a geração subsequente, a Z, herdou essa característica. É preciso ficar atento, pois eles já estão chegando ao mercado de trabalho. Um detalhe interessante é que esses profissionais já nasceram imersos no ambiente digital. Sendo assim, a gamificação com recursos tecnológicos se torna extremamente efetiva para engajá-los.

Feedback imediato

Quando sabemos quais são os pontos que precisamos melhorar, fica mais fácil desenvolver ações certeiras, não é verdade? Na rotina diária de um gestor, muitas vezes, é difícil conseguir dar feedback diário para seus liderados, ainda mais se ele trabalhar com uma equipe grande.

Com o uso de um software de gamificação, o seu liderado recebe feedback de forma imediata. O mais interessante é que essa orientação é dada de forma padronizada, afinal, existe uma programação no sistema para isso. Assim, não existe nenhuma abertura para despertar o senso de “injustiça” quando se está em uma situação de crítica negativa, por exemplo.

Onde é possível aplicar a gamificação?

No gerenciamento estratégico de pessoas é possível implementar a gamificação em diversos cenários e processos distintos. Qualquer área do negócio pode adotar essa estratégia, mas lógico que é fundamental adaptar esse recurso para o perfil da sua operação, bem como dos seus liderados. Abaixo, conheça cenários em que o uso da gamificação pode ser aplicado.

Rotinas Diárias

Os seus colaboradores têm dificuldades em fazer a marcação de ponto corretamente? Os e-mails estão demorando para terem tratativas? Seus custos operacionais não estão dentro do orçado? Bem, tudo isso pode ser resolvido quando a gamificação é implementada nas rotinas diárias.

Elas correspondem a cada procedimento, tarefa ou atividade que os liderados fazem durante o dia produtivo. Você pode gamificar aquelas que são essenciais para atingir as metas, bem como aquelas que mais geram retrabalho. Dessa forma, a sua gestão de pessoas é otimizada e você consegue empenhar as suas energias em outras decisões estratégicas do negócio.

Contrato de Gestão

O contrato de gestão é o acordo forma entre colaborador e empresa que formaliza quais são as metas a serem alcançadas ao longo de um ano. Elas correspondem ao resultado acumulado das rotinas diárias e das tomadas de decisões estratégicas para o negócio, como desenvolvimento de projetos disruptivos, redução de custos, transformação digital etc.

Isso depende do planejamento estratégico do negócio, das funções do cargo e das habilidades do colaborador a serem desenvolvidas. Com a gamificação, você pode acompanhar o progresso do cumprimento das metas do contrato de gestão. De forma lúdica, elas serão alcançadas e ainda contando com o feedback imediato.

Treinamentos

A capacitação é um dos pontos que merece destaque no gerenciamento de capital humano. É primordial que as organizações invistam no treinamento dos seus profissionais. Mesmo que eles já venham no mercado com conhecimento prévio, é preciso compartilhar como isso pode e deve ser implementado na sua operação.

É impossível um colaborador executar uma atividade com maestria se ele não sabe como fazê-la. Com a gamificação, esse processo de aprendizado se torna menos doloroso, o que faz com que o conhecimento seja absorvido de maneira mais simples. Além disso, é possível implementar testes.

Onboarding

A etapa de onboarding (embarque) é uma das mais importantes para o sucesso do colaborador em qualquer organização. É nesse momento que as expectativas dele e da organização são alinhadas. É um momento crucial para a transferência da cultura e o conhecimento de como devem ser feitos os processos.

Quais são as suas principais vantagens?

gamificação

Até agora, você já pôde identificar alguns benefícios dessa estratégia para a sua gestão, não é verdade? A gamificação é um recurso extremamente rico para engajar os colaboradores e as suas vantagens são várias e em diversos aspectos do contexto corporativo. Continue a leitura e conheça os principais benefícios do gamification!

Absorver conhecimento

As crianças têm uma capacidade de aprendizado extraordinária. Para eles, assimilar conteúdo acontece de uma maneira muito natural. Nos adultos a absorção de conhecimento é um pouco diferente, pois eles já estão imersos em uma série de preconceitos e maus hábitos que foram sendo “aprendidos” ao longo da vida.

Além disso, com a grande quantidade de informação recebida, a tendência é do cérebro dos adultos deletar aquelas que identificar como desnecessárias no dia a dia. Assim, é preciso estar sempre revisitando conteúdos para “refrescar a mente”. Quando esse conhecimento está gamificado, o profissional está colocando-o em prática e isso favorece mais o processo de aprendizagem.

Aumentar o interesse em treinamentos

Quando o aprendizado é algo doloroso para uma pessoa, ou seja, não estimulante e, muitas vezes, desanimador, a tendência é que ela não queira se submeter a essa experiência. Agora, com a gamificação, o conhecimento é compartilhado de forma lúdica. Em vez de estimular o stress, o gamification ajuda o colaborador a se interessar em aprender mais. Tudo isso de forma muito natural.

Assim, você verá que o indicador de horas de treinamentos internos dos seus liderados, com certeza, apresentará uma alteração positiva. Para estimular ainda mais o interesse em fazer treinamentos, uma dica interessante é disponibilizar certificados ao final de cada curso.

Desenvolver o senso crítico

Você já sabe que a gamificação fornece feedback imediato para os colaboradores. Essa troca permite aos seus liderados desenvolverem mais senso crítico. A medida em que eles vão aprendendo por meio do feedback, é absorvida a cultura da empresa, o que é considerado ou não boas-práticas etc.

Um ponto interessante é que a inteligência emocional é aprimorada. Muitas pessoas têm grandes dificuldades para lidar com o feedback, não é verdade? Como ele é proporcionado de forma padronizada, logo, sem nenhum juízo de valor, apenas se levando em consideração decisões inteligentes para o negócio, os colaboradores aprendem a lidar melhor com os “nãos”.

Promover competição saudável

Primeiramente, é necessário reforçar que o objetivo da gamificação não é colocar um colaborador contra o outro, incentivando uma rivalidade, muito pelo contrário. Ela quer usar os seus recursos para potencializar a colaboração e o sentimento de pertencimento. A primeira vista, pode até parecer contraditório, mas no dia a dia é possível perceber como isso é potencializado por meio de uma competição saudável.

Quando os recursos da gamificação são utilizados para ações que só têm resultado quando o trabalho é feito em equipe, cada membro vai buscar dar o seu melhor para não impactar negativamente o resultado do grupo. Essa prática é o que fundamenta, por exemplo, a gestão administrativa do Toyotismo.

Estimular o engajamento

Um dos grandes desafios de todo negócio, independentemente do seu porte é a promoção do engajamento. Esse conceito é abordado em diversos contextos porque ele é o ingrediente especial para ter profissionais com alta performance. Na teoria, parece muito fácil engajar os colaboradores, mas, na prática, é bem diferente.

Lidar com pessoas é algo complexo, pois, cada uma traz consigo suas bagagens culturais e experiências de vida. Tudo isso impacta diretamente nas suas percepções de mundo e faz com que o gestor precise trabalhar de forma personalizada para conseguir alcançar o engajamento.

Atrair e reter talentos

A cultura do feedback é uma das características principais de organizações que investem no desenvolvimento dos seus colaboradores. Ela é uma das qualidades que os profissionais mais buscam no mercado na hora de escolher uma empresa para trabalhar. Além do mais, quando a sua empresa consegue reter talentos ela conquista uma série de benefícios, como a redução de custos e a diminuição da taxa de turnover (rotatividade).

O uso da gamificação nas tarefas de rotina, por exemplo, torna o dia a dia do colaborador mais leve e isso contribui para a sua qualidade de vida dentro da empresa. Naturalmente, se ele está satisfeito com o trabalho, além de ter sempre uma boa performance, a tendência é que ele queira permanecer no seu negócio.

Reduzir custos operacionais

Por muito tempo, a parte de recursos humanos sempre foi vista como um custo necessário. No entanto, nos últimos anos o RH e a gestão de pessoas tem se afirmado como área estratégica para o desenvolvimento sustentável dos negócios. Dessa forma, os seus processos têm sido otimizados visando a alta performance.

Para tanto, um dos pilares é a redução de custos operacionais. Com a gamificação do gerenciamento do capital humano é possível conquistar a diminuição dessas despesas e trabalhar o ROI (Return Over Investiment, ou Retorno Sobre o Investimento), uma vez que:

  • a necessidade de fazer processos seletivos para reposição de cargos, acertos por desligamentos e novos treinamentos de onboarding é minimizada, já que há o aumento da retenção de talentos;
  • os custos por falha operacional também são reduzidos, já que a equipe recebe mais feedbacks.

Gerar dados para a gestão

Quando a gamificação é associada a um software é possível coletar uma gama de dados sobre os seus colaboradores. Por essa facilidade, você consegue implementar o People Analytics (Análises de Pessoas) de forma precisa. Inclusive, essas aplicações, geralmente, têm um dashboard (painel) com os relatórios de controle e resultados da sua equipe.

É possível trabalhar uma série de informações, desde dados sobre distribuição geográfica, idade e gênero da sua equipe como estudos relacionando, por exemplo, performance e grau de escolaridade. Essas análises permitem que o gestor tenha um retrato da sua área e isso ajuda-o a tomar decisões mais inteligentes.

Existe um passo a passo para implementá-la?

Agora que você sabe o que é a gamificação e como ela pode impactar no desempenho do seu negócio, deve estar pensando como é possível implementá-la de forma certeira. Como sabemos que não é um processo simples, fizemos para você uma passo a passo macro para servir como um norte. Veja, a seguir.

Fazer diagnóstico do público interno

No início deste artigo, falamos que para a estratégia de gamificação dar certo é fundamental que ele esteja alinhada com o perfil do seu público, lembra? Por isso, o primeiro passo é fazer um diagnóstico para conhecer quem é o seu público. A partir desse estudo, você vai encontrar as suas personas, definir quais são os recursos que conversam mais com elas, bem como definir o tipo de linguagem a ser utilizada.

Nessa etapa, você precisa ter em mente que quando falamos do perfil do colaborador, não estamos destacando apenas características subjetivas. A forma como a operação do seu negócio acontece também faz parte do perfil. Por exemplo, suponhamos que você é gestor de call center. Esse tipo de operação tende a trabalhar em escalas de trabalho de 6h/dia, os usuários costumam fazer X ligações por dia, usam mais o e-mail do que a Intranet etc.

Essas informações são essenciais para conseguir definir qual o modelo de gamificação que vai ser mais aderente para a sua equipe. Se essa etapa por negligenciada, com certeza, você não conseguirá ter sucesso nesse projeto e empenhará energia, tempo e dinheiro sem necessidade.

Definir o propósito do jogo

Por que você está gamificando determinado processo? Tenha essa ideia clara na sua cabeça para conseguir construir o jogo com os elementos corretos. Se você precisa que a sua equipe reduza a impressão de arquivos, o que você vai fazer? Definir uma meta para a diminuição das impressões.

Feito isso, você define uma premiação aos seus liderados, cria alertas no computador e fortalece a comunicação de boas-práticas para evitar a impressão de arquivos sem que, de fato, seja necessária. Esse é um exemplo prático porque é preciso definir o propósito do jogo. Lembre-se de deixar isso bem claro para os seus liderados.

Criar metas para gamificação

Tenha a definição de metas claras. Criar a gamificação de um processo só porque achou a ideia diferente não vai trazer retorno para a sua operação. Quais são as dores das rotinas produtivas da sua gestão? Quais são as suas dificuldades no dia a dia? E quais são as dos seus liderados?

Muitas vezes, as respostas a essas perguntas são o alicerce das metas que serão criadas e essenciais para conquistar a alta performance da sua equipe. Atente-se para não criar objetivos inalcançáveis. Nesses casos, em vez de engajar seus colaboradores, você estará seguindo em sentido contrário.

Um ponto que é essencial reforçamos é a análise de indicadores. Não adianta criar metas se não tiver métricas para poder mensurar os resultados e nem construir análises preditivas. Por isso, defina quais são as métricas essenciais para você acompanhar o desenvolvimento da gamificação na sua gestão.

Escolher premiações interessantes

Ter a possibilidade de ganhar algo personalizado ou que não seria possível adquirir de outra forma é um grande motivo para os colaboradores se engajarem nas rotinas diárias. Por isso, tenha cuidado na hora de escolher quais serão as premiações. É preciso também que sejam reconhecimentos justos, ou seja, os resultados de cada colaborador tenham sido apurados com precisão e dentro dos mesmos critérios.

A gamificação pode ser a estratégia que falta para a sua operação alcançar a alta performance, sendo refletida na experiência do cliente e no desempenho financeiro do negócio. Utilize este artigo para ajudar você a implementar essa técnica de maneira certeira na sua gestão de pessoas e se tornar um líder de referência até para profissionais que não estejam na sua hierarquia.

Este artigo especial sobre gamificação no gerenciamento de pessoas foi útil para você? Se você gostou deste post, então, compartilhe-o com seus amigos nas suas redes sociais!

Você também pode gostar

Deixe um comentário