Entenda como realizar uma gestão estratégica de pessoas

gestão estratégica de pessoas
17 minutos para ler

Para quem deseja ter uma equipe de alta performance para conseguir alcançar os resultados esperados pelo topo da hierarquia da empresa, é fundamental otimizar a produtividade de todos os colaboradores. Mas não basta contar com um setor de Recursos Humanos preocupado apenas em contratar ou demitir funcionários. A solução é aplicar o conceito de gestão estratégica de pessoas.

As mudanças dentro da nossa sociedade são enormes nos últimos anos. Assim, os profissionais estão cada vez mais exigentes na hora de definir o local de trabalho. E se você utiliza a tecnologia e o planejamento para auxiliar a sua rotina de trabalho, por que não fazer o mesmo em relação ao processo de gestão de pessoas? Os benefícios a longo prazo são os mais variados.

Da retenção de talentos até um melhor desempenho no trabalho. Para aumentar a produtividade de toda a sua equipe, é necessário aplicar conceitos e estratégias mais modernos, como a gestão estratégica de pessoas. Que tal, então, se aprofundar um pouco mais no assunto e conhecer mais sobre essa técnica, os seus benefícios e como aplicá-la? Continue a leitura e descubra!

O que é a gestão estratégica de pessoas?

Por muito tempo, o foco das empresas era exclusivamente na venda dos seus produtos e/ou serviços. Aos poucos, as necessidades dos consumidores passaram a gerar um impacto importante na rotina de trabalho das organizações. Agora, mais do que nunca, é necessário cuidar também de quem faz a engrenagem da empresa funcionar: os funcionários e os colaboradores.

Hoje, portanto, o departamento de Recursos Humanos não deve se concentrar apenas na atração de talentos, por exemplo, mas principalmente na manutenção desses profissionais. É isso que propõe o conceito de gestão estratégica de pessoas: administrar os recursos humanos de uma empresa e potencializar o trabalho de cada um deles para o sucesso a longo prazo.

Baseado em conceitos da Administração, planejamento e o uso da tecnologia, a gestão estratégica de pessoas é dividida em 5 pilares:

  • Motivação
  • Comunicação
  • Trabalho em equipe
  • Conhecimento
  • Desenvolvimento

A partir do trabalho integrado entre essas etapas, é possível realizar um trabalho mais eficiente e produtivo de gestão de pessoas. O colaborador deixa de ser apenas uma peça da estrutura de trabalho da sua companhia e passa a ser ainda mais valorizado.

Como ela funciona?

Na prática, a gestão estratégica de pessoas consiste na criação de um plano de ação para lidar com os colaboradores de uma empresa. Sempre considerando as características, objetivos e até mesmo a cultura da organização, as soluções sempre são personalizadas. Dentro de cada um dos pilares que constituem esse conceito são desenvolvidas ações específicas para lidar com os colaboradores.

Todas as ações colocadas em prática têm um único objetivo: fazer com que o profissional se sinta confortável. Seja investindo na capacitação deles, seja com o incremento de benefícios ainda mais atrativos. Para conseguir alcançar os objetivos estipulados pela empresa, é preciso proteger os componentes dessa organização, sempre de forma alinhada com a visão estratégica global.

A partir da análise de dados e informações concretas, todas as decisões se tornam mais precisas, sempre analisando o impacto real de cada ação. Isso é avaliado na hora de realizar uma contratação, encontrar um substituto dentro da empresa ou mesmo ao oferecer treinamentos aos colaboradores.

Afinal, na prática, pode ser lindo oferecer treinamentos, mas quais são os ganhos reais — da empresa e do colaborador — com esses investimentos? Tudo passa a ser feito com maior precisão, evitando desperdício de tempo e recursos das duas partes. A tendência é que, assim, os resultados do trabalho de Recursos Humanos sejam ainda mais efetivos.

Qual a sua importância?

Mas quais são as razões para investir na gestão estratégica de pessoas? Afinal, quais são os benefícios de aplicar esses conceitos dentro da sua organização? Sem profissionais motivados e com uma alta rotatividade, alcançar os objetivos principais da empresa se torna uma tarefa muito mais complexa. Além disso, outros pontos são beneficiados diretamente dessa estratégia. Confira!

Mais satisfação no trabalho

De acordo com uma pesquisa do Instituto Locomotiva, mais da metade dos brasileiros está insatisfeita em seus trabalhos. O mesmo estudo mostra que os profissionais exigem o reconhecimento por parte das empresas em relação aos seus desempenhos. Com a aplicação da gestão estratégica de pessoas, um trabalho mais personalizado é executado.

Como consequência, as dores, os objetivos e as necessidades de cada colaborador são acompanhados de perto, aumentando a precisão das suas ações. Afinal, você passa a entender o que funciona melhor para satisfazer cada um deles. O pacote de benefícios para um pode servir, enquanto outro exige mais incentivos para continuar se desenvolvendo profissionalmente, por exemplo.

O planejamento, portanto, permite que a sua empresa encontre quais são as soluções para cada um, resolvendo os problemas de maneira personalizada. Quando isso acontece, a tendência é que o colaborador valorize ainda mais a preocupação e os cuidados da organização em que trabalha.

Redução da rotatividade

Uma dor de cabeça muito comum para qualquer gestor é o turnover. Também conhecido como rotatividade, esse é um problema que atinge a maioria das empresas no Brasil. Segundo um estudo feito pela consultoria Robert Half, o turnover aumentou 82% de 2010 até 2019. Ou seja, as empresas ainda não estão conseguindo aplicar os conceitos mais básicos de gestão de pessoas.

Seja ao contratar profissionais que não se encaixam, seja ao não conseguir manter os colaboradores estimulados e motivados, isso acaba criando diversos problemas, como a descontinuidade de projetos e ideias, além do desperdício de recursos. A gestão estratégica visa acabar com esse problema, analisando dados concretos para as tomadas de decisão.

Dessa forma, a tendência é que não só o processo seletivo seja qualificado, mas que os profissionais sempre se sintam confortáveis naquele ambiente.

Aumento na produtividade

Outro benefício importante para a sua empresa é a produtividade. Afinal, um profissional desmotivado não vai ter uma performance satisfatória e a alta rotatividade vai impedir que os projetos sejam executados com rapidez e eficiência. Portanto, os dois tópicos anteriores acabam contribuindo diretamente para o melhor desempenho de quem está trabalhando.

Além de evitar os tópicos anteriores, a gestão estratégica de pessoas contribui para o encaixe ideal de cada profissional na empresa. Quer um exemplo? Um colaborador com um baixo desempenho em determinada função pode render melhor assumindo outro cargo. Tudo isso passa pelo entendimento completo de quem é esse profissional e o que ele pode fazer.

Gerenciamento eficiente de recursos

Ao cuidar bem dos profissionais na sua empresa, você também está cuidando das finanças e recursos da companhia. Afinal, toda a movimentação na área de Recursos Humanos tem um impacto significativo no orçamento financeiro. Uma demissão sem justa causa, por exemplo, implica no pagamento de indenizações ao colaborador.

O profissional que se sentir desmotivado, por exemplo, não vai ter o mesmo rendimento daquele que está satisfeito no ambiente de trabalho. Ou seja, o investimento naquele colaborador — salários e benefícios — acaba não resultando no que era esperado. A gestão permite que cada recurso seja melhor aproveitado dentro da sua organização.

Reduzir a rotatividade, realizar contratações mais precisas, aumentar o desempenho dos profissionais, aproveitar melhor os talentos dentro da empresa, enfim, todos esses benefícios de uma gestão mais estratégica colaboram para uma melhor utilização dos recursos da empresa.

Diferencial competitivo

A competição entre as empresas está acirrada não apenas em relação aos consumidores, mas também na busca por talentos. Sendo assim, é preciso encontrar maneiras de se diferenciar dos seus concorrentes e se tornar um espaço mais atrativo. A gestão estratégica de pessoas também é uma forma de se posicionar de maneira diferente das demais empresas.

Um funcionário que sabe que vai ser bem tratado internamente tende a valorizar ainda mais a oportunidade de trabalho. Ao receber uma proposta mais atrativa financeiramente, por exemplo, ele vai considerar a sua felicidade antes de tomar uma decisão. A tendência é que, assim, mais profissionais se interessem pelo que é feito dentro da sua organização.

Fortalecimento da reputação

Quando uma empresa cuida bem dos seus funcionários, a reputação no mercado passa a ser ainda mais positiva. Afinal, se ela valoriza tanto os seus colaboradores, imagine como é o tratamento em relação aos clientes? Além disso, as conversas entre os profissionais acabam gerando um alcance ainda maior do que tem sido feito pela companhia, atraindo mais interesse.

Ao realizar um processo seletivo, profissionais mais capacitados vão se interessar ainda mais pela sua empresa. Qualquer escolha é feita a partir de uma análise do histórico da companhia, o que se tornou ainda mais comum com a internet. Plataformas registram as experiências dos profissionais em suas companhias, o que interfere diretamente no trabalho de atração de talentos.

Uma empresa com a reputação de não investir em seus funcionários pode se tornar um destino não tão atrativo para os melhores profissionais da área. Investir na gestão estratégica de pessoas, portanto, contribui diretamente para o fortalecimento da sua marca, especialmente a longo prazo.

Quais são os 5 pilares da gestão estratégica de pessoas?

Como falamos acima, a gestão estratégica de pessoas é composta por 5 pilares. Para que você entenda um pouco mais sobre eles — e a importância de estarem alinhados para o sucesso das suas ações —, listamos as características de cada um. Confira!

Motivação

A motivação é o pilar inicial de uma gestão estratégica de pessoas. Afinal, é a partir do comprometimento de cada colaborador que os resultados podem aparecer, certo? É preciso, então, assegurar que os profissionais estejam estimulados o suficiente para desempenharem as suas funções da melhor forma possível. Táticas como o Marketing de Incentivo são válidas.

Entretanto, isso não está restrito aos profissionais que já estão na companhia. Conseguir identificar características com a automotivação pode ser importante na hora de realizar a contratação de um novo funcionário. Além disso, é preciso entender o que pode fazer com que aquele profissional tenha um desempenho melhor ao realizar o seu trabalho.

A motivação pode ser financeira, por exemplo, oferecendo um salário mais alto ou bonificações de acordo com o desempenho. Pode ser também um plano de carreira, mostrando que a sua empresa tem planos com aquele profissional para o futuro. Além disso, ela pode acontecer por meio de capacitação e treinamentos, investindo recursos para o desenvolvimento dos seus funcionários.

Comunicação

A comunicação também é primordial para que a gestão estratégica de pessoas funcione. Afinal, é apenas a partir de uma relação transparente que é possível conseguir tirar o máximo de cada colaborador. O incentivo ao diálogo é uma prática necessária, por exemplo. O objetivo é reduzir ao máximo as barreiras que possam existir entre diferentes hierarquias dentro da organização.

Seja para relatar um problema, seja para apresentar uma solução, as portas da empresa precisam sempre estar abertas. Esse ambiente acaba incentivando que cada profissional mostre o que está pensando, reduzindo atritos e boatos, por exemplo. Esse pilar é necessário para que as duas partes entendam o que esperar da outra, reduzindo ao máximo as dúvidas sobre o trabalho.

Quando falamos em comunicação, o endomarketing também se torna uma ferramenta necessária para fazer com que o colaborador se sinta parte da organização. Com uma comunicação direta, toda a estrutura de trabalho tende a funcionar de forma mais eficiente.

Trabalho em equipe

Outro dos pilares necessários para uma gestão estratégica de pessoas é o trabalho em equipe. Por mais que você utilize metas pessoais e até mesmo os incentivos sejam individuais, é importante também estimular a união de forças. Quando o trabalho de comunicação é bem-feito, a tendência é que a troca de ideias, opiniões e conhecimento entre os profissionais seja mais natural.

Quando essa relação acontece, o trabalho em equipe costuma aparecer como uma consequência. O profissional vai se sentir mais à vontade para relatar uma dúvida com o colega, que pode ter uma ideia para solucionar o problema, por exemplo. Também é papel do gestor estimular essa troca — colocar em um mesmo projeto profissionais que nunca trabalharam juntos é uma maneira de fazer isso.

Assim, é importante que toda a cultura organizacional da empresa estimule o trabalho em equipe. Mesmo para quem trabalha com vendedores, é fundamental que todos entendam a importância de metas gerais, de um setor ou mesmo de toda a empresa.

Conhecimento

Mesmo com os incentivos, a comunicação transparente e o trabalho em equipe, outro fator importante é o conhecimento. Sem as competências de cada um, o trabalho executado não vai gerar os resultados esperados. Por isso, esse pilar deve ser uma prioridade especialmente durante o processo seletivo. É preciso ser bastante rigoroso na hora da escolha.

Portanto, se certifique de que o profissional avaliado se encaixe nas características da função exigida. Afinal, não basta que o colaborador seja inteligente ou qualificado, é preciso que ele seja competente nas tarefas necessárias. A gestão estratégica de pessoas colabora diretamente para a busca mais precisa por novas contratações, mas também por descobertas internas.

Com uma análise aprofundada das competências de cada colaborador, também é possível descobrir quem pode render melhor em outras funções. O importante, portanto, é ficar sempre de olho em quem pode aproveitar ainda mais o seu conhecimento em outras funções.

Desenvolvimento

Também é necessário pensar em como estimular o desenvolvimento de novas competências e conhecimentos. Relacionado ao pilar da motivação, é de responsabilidade das empresas colaborar para o desenvolvimento de cada profissional. Treinamentos, cursos, capacitações, enfim, é fundamental ajudar todos os colaboradores a evoluírem.

Esse pilar, porém, só vai gerar os resultados esperados se a troca for relevante. Ou seja, não adianta oferecer qualquer tipo de treinamento, o profissional precisa, de fato, ser capacitado. Além de ser uma maneira de motivar o colaborador, a produtividade no ambiente também deve aumentar.

Por que usar a tecnologia para otimizar a gestão?

A tecnologia está cada vez mais presente em nossa sociedade. Utilizamos nossos smartphones para diversas atividades, aplicativos e até mesmo ferramentas para otimizar a rotina de trabalho. Por que não ter o mesmo cuidado quando o assunto é gestão estratégica de pessoas? A partir de soluções customizadas, é possível otimizar todo o ciclo de trabalho.

Além disso, a tecnologia também pode reduzir a burocracia dentro da companhia. Para se ter uma ideia, um levantamento feito pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) mostra o impacto no mercado. São quase R$ 80 bilhões perdidos pelas pequenas e médias empresas brasileiras por conta de tarefas burocráticas.

Contar com um software ou solução que permita um maior controle de todas essas informações vai agilizar a rotina de trabalho. Como consequência, a produtividade da sua equipe também tende a aumentar. Outro benefício da tecnologia é a maior precisão de tudo o que é feito. A partir da análise de dados coletados ao longo de um período, as ações se tornam mais precisas.

A presença da tecnologia na gestão estratégica de pessoas também é uma forma de garantir maior segurança para a sua empresa e, é claro, os colaboradores. O mercado oferece sistemas com as práticas mais inovadoras para assegurar que todas as informações de Recursos Humanos de uma empresa estejam em boas mãos.

A tecnologia é, portanto, uma maneira de potencializar o seu trabalho. As ferramentas, sozinhas, não vão motivar e potencializar o trabalho dos seus colaboradores, mas ela pode auxiliar nesse processo. Dentro de um mercado tão competitivo, ganhar tempo e evitar desperdício de recursos com tarefas desnecessárias pode acabar se tornando mais um diferencial para o seu negócio.

Como fazer uma gestão estratégica de pessoas de forma eficiente?

O primeiro passo para fazer uma gestão estratégica de pessoas de maneira eficiente é colocando em prática os 5 pilares desse conceito. Afinal, cada um deles tem um impacto direto no sucesso do outro. Quando trabalhados em conjunto, a tendência é que a relação entre a empresa e os profissionais seja muito mais natural e saudável, mas os pilares precisam ser colocados em prática.

Outro fator importante é a compreensão de quem é o seu público. É preciso construir um ambiente voltado para os profissionais da sua empresa. A partir da comunicação e o incentivo de feedbacks, por exemplo, é possível identificar quais são as principais necessidades dos colaboradores da sua empresa, assim como os valores que devem ser aplicados na rotina de trabalho.

Além disso, é fundamental realizar o monitoramento constante das suas estratégias. Apenas acompanhando de perto o que está sendo feito é possível encontrar maneiras para melhorar. A ideia é sempre descobrir aquilo que funcionou e o que precisa ser aprimorado. A partir de métricas e indicadores, se torna mais simples acompanhar as evoluções.

Por que contar com uma plataforma de gestão de pessoas?

Como falamos acima, a gestão estratégica de pessoas pode ser otimizada com o uso de uma plataforma específica para isso. Reunir todas as informações relevantes sobre o que tem sido feito é uma forma de facilitar o monitoramento desse trabalho. Falamos bastante sobre produtividade, mas também é necessário aumentar a eficiência da sua gestão.

Além disso, algumas opções no mercado já utilizam tecnologias mais avançadas. A partir do machine learning e da gamificação, por exemplo, se torna muito mais fácil engajar e estimular os colaboradores. As ferramentas mais completas facilitam não apenas o trabalho do gestor, mas também dos profissionais, que podem acompanhar a sua evolução.

A gestão estratégica de pessoas é, portanto, uma opção cada vez mais necessária para aquelas empresas que desejam se destacar em um mercado tão concorrido. Cuidar da satisfação e do desenvolvimento dos seus colaboradores é um passo fundamental para conseguir alcançar as metas e os objetivos traçados. Afinal, são eles que podem potencializar o seu negócio.

Agora que você já sabe tudo sobre gestão estratégica de pessoas, os seus pilares, a sua importância e como aplicar esse conceito na sua organização, que tal ficar por dentro de outros assuntos relevantes para o sucesso da sua empresa? Assine a nossa newsletter e receba conteúdos como este em primeira mão na caixa de entrada do seu e-mail!

Você também pode gostar

Deixe um comentário