Gestão e retenção de talentos: como fazer isso corretamente?

retenção de talentos
8 minutos para ler

Uma grande dificuldade que diversos empreendedores têm é encontrar profissionais realmente capacitados para executar determinada função e que apresentem valores semelhantes aos da empresa. É por isso, que quando esse profissional é encontrado, a contratação ganha um valor imensurável. 

Mas é óbvio que o trabalho da companhia não termina aí; afinal, após contratar o funcionário, é necessário e muito importante trabalhar a retenção de talentos, para não perder ótimos colaboradores.

Neste texto, vamos mostrar a você a importância de reter talentos, dar algumas dicas de como fazer isso da melhor forma possível e, ainda, apresentar as principais vantagens dessa prática na empresa.

Ficou interessado? Então, continue acompanhando o texto e aproveite para implementar essas ações no seu negócio e reter cada vez mais talentos! Boa leitura!

Por que se preocupar com a gestão e retenção de talentos?

A gestão e a retenção de talentos são grandes diferenciais competitivos. Os empreendimentos vivem em uma verdadeira disputa pelo talento; por essa razão, conseguir encontrar um conjunto de habilidades específicas tem sido uma missão cada dia mais difícil de ser cumprida.

Além do conhecimento técnico, o profissional precisa ter conhecimentos alinhados à empresa. Para fazer isso, é necessário contar com uma boa estratégia, já que o cenário é muito disputado hoje em dia.

Reter talentos ajuda a empresa a ter sucesso e conquistar uma forte presença no mercado. Além disso, manter colaboradores engajados e felizes traz excelentes resultados para o negócio, e, consequentemente, ganha-se lucratividade e aumento da durabilidade da empresa no mercado.

Quais aspectos envolvem a retenção de talentos?

É preciso ter muita atenção no processo seletivo, uma vez que é uma via de mão dupla: ambos os lados escolhem. É importante contratar o profissional certo para a função certa — e, claro, isso envolve não só análise de questões comportamentais e técnicas, mas também de expectativas do funcionário para sua vida e o que a companhia pode oferecer. 

Assim, é fundamental que haja alinhamento entre aspectos como:

  • plano de carreira;
  • capacidade de adaptação do colaborador à cultura empresarial;
  • remuneração atrativa;
  • pacote de benefícios;
  • ambiente corporativo saudável;
  • plano de desenvolvimento.

É preciso ter em mente que já passou o tempo em que um salário convidativo era decisivo para que o profissional ficasse na empresa. Nos dias de hoje, as pessoas estão buscando um bom clima organizacional, maior qualidade de vida e possibilidades de crescer na carreira. Muitos brasileiros preferem benefícios de proteção à renda do que altos salários.

O que fazer para reter bons colaboradores?

retencao-de-talentos

Veja algumas dicas relevantes para reter bons profissionais na sua empresa!

Definir metas para o desenvolvimento da equipe 

Mostrar que o profissional é importante para a companhia, atribuir responsabilidades e sempre desafiá-lo faz com que ele tenha cada vez mais engajamento. 

Ainda, valorização pode ser sinônimo de recompensa. Há profissionais que preferem uma recompensa financeira, enquanto outros gostariam de ter uma folga ou viajar, por exemplo. Portanto, é importante conhecer o perfil de cada um e descobrir suas preferências.

Estabeleça metas, motive os colaboradores a realizá-las e, claro, procure cumprir sempre o que foi combinado. O mercado vive um momento de grande transição de profissionais dentro das organizações, e isso acontece, muitas vezes, porque as empresas não traçam objetivos e metas para os colaboradores.

Se o profissional evolui na sua função, muitos gestores se perdem e não sabem o que fazer com o talento, não conseguindo formar, capacitar e, principalmente, reter aquele funcionário de qualidade.

Implementar o sistema de meritocracia como forma de bonificação 

A meritocracia, quando usada de maneira correta, ajuda a filtrar os talentos da companhia, aumenta o engajamento e a produtividade da equipe e, consequentemente, contribui para o sucesso e evolução da empresa.

Os funcionários mais inovadores e criativos se destacam e ganham recompensas por isso, o que os estimula a trabalhar mais e com mais qualidade. Assim, essas pessoas passam a enxergar mais significado em seu trabalho, tornando-se mais engajadas. 

Com a melhoria da produtividade que as recompensas impulsionam, os colaboradores podem desenvolver suas habilidades e aumentar a eficiência — sem contar que os profissionais que não estão conseguindo o desempenho esperado ou que não estão cumprindo prazos acabam se motivando a dar mais duro, já que levam em consideração o reconhecimento conquistado pelos colegas de trabalho.

Utilizar a gamificação

Para atingir níveis elevados de engajamento, as organizações devem utilizar os incentivos não monetários cada vez mais, como programas e treinamentos que reconheçam os funcionários em tempo real e um plano estruturado de carreira. É importante saber que, para que tais práticas sejam eficientes, é preciso haver uma correlação entre premiação e desempenho.

Nesse contexto, surge a gamificação, um conceito muito usado nas estratégias de retenção de talentos, uma vez que, a partir de técnicas usadas em jogos, busca promover o desenvolvimento e o conhecimento de novas habilidades, incentivando cada vez mais a produtividade e a colaboração dos profissionais por meio de um sistema de recompensas.

Dessa forma, ao sentirem que a empresa valoriza a sua mão de obra e evolução, certamente, os colaboradores não vão se render a outras oportunidades de trabalho existentes no mercado.

Apresentar perspectivas de crescimento na empresa

Um plano de salários e de cargos certamente pode fazer toda a diferença para o funcionário. À medida que ele consegue compreender suas possibilidades de se desenvolver dentro da companhia, está preparado para organizar o seu futuro, criando os próprios fatores de incentivo e as próprias metas. 

Obviamente, os profissionais que trabalham com perspectivas animadoras são muito mais motivados e felizes com a empresa. Por isso, o ideal é investir em um bom plano de salários e de cargos, que seja transparente, interessante e consistente.

Isso quer dizer que ele deve permitir que os profissionais vislumbrem as vantagens e as possibilidades de permanência no negócio não apenas quando se fala em benefícios e remuneração, mas também no tocante a reconhecimento e desafios.

Quais as vantagens de investir na retenção de talentos?

Investir na retenção de talentos garante vários benefícios. Veja, a seguir, os principais deles!

Contribui para um ambiente de trabalho agradável

O clima de trabalho acaba influenciando a forma como os clientes, funcionários e demais pessoas em contato com a organização se sentem. Quando existe um bom clima no trabalho, é possível conseguir melhores experiências, além de manter o nível de satisfação dos clientes mais alto.

O motivo é fácil de entender: profissionais talentosos colaboram muito mais e, com isso, ajudam outros funcionários que enfrentam desafios ou dificuldades em suas funções rotineiras. Isso favorece o ótimo relacionamento entre todos e, claro, a harmonia no ambiente empresarial.

Garante mais produtividade e engajamento

Como você viu, reter talentos pode contribuir para o clima empresarial. Com isso, há, também, mais engajamento, colaboração mútua e produtividade. Quando um time de profissionais está totalmente alinhado, trabalhando pelos mesmos propósitos da empresa, as atividades do dia a dia são cumpridas com maior qualidade e em menor tempo.

Por outro lado, a perda de um membro da equipe pode abalar a produção e as relações. Mesmo que a vaga seja preenchida rapidamente, o novo funcionário vai levar um tempo até se encaixar no processo, afetando, assim, os resultados do empreendimento.

Reduz os custos trabalhistas

Uma parte significativa dos custos trabalhistas está ligada aos processos de seleção, recrutamento e desligamento de profissionais. Uma saída precoce de um funcionário dá início a um novo processo, e isso gera novos custos, além da demora em estabilizar as equipes.

Garante que o negócio não perca capital intelectual

Quando um colaborador que ocupa um cargo-chave ou que está há muito tempo na empresa é desligado ou pede demissão, a companhia precisa considerar, também, a perda de capital intelectual.

Afinal, o funcionário que sai da empresa leva com ele toda a expertise que tinha sobre os processos da organização, e é bom lembrar que, a não ser que ele pretenda trocar de mercado, certamente vai levar todo o conhecimento que detém para o concorrente.

Enfim, uma equipe engajada faz toda a diferença nos resultados finais de um negócio, além de contribuir para a redução de custos; afinal, não vai ser preciso investir constantemente em processos de recrutamento e seleção, treinamento e apresentação da cultura empresarial. Ao cuidar da retenção de talentos dentro da sua empresa, você só vai obter vantagens!

Ficou interessado e quer garantir que seus colaboradores estejam sempre motivados? Então, não perca tempo e entre em contato conosco para conhecer nossos serviços!

Você também pode gostar

Deixe um comentário